"Mensagem da Rainha da Paz"

MENSAGEM DA RAINHA DA PAZ EM MEDJUGORJE DE 02.10.2017 "Queridos filhos, falo a vocês como MÃE, com palavras simples mas cheias de amor e de preocupação, que ME foram confiados por MEU FILHO. É ELE que, do ETERNO PRESENTE, fala a vocês com palavras de vida e semeia o amor nos corações abertos, Por esta razão os peço, apóstolos do MEU AMOR, tenham os corações abertos, sempre prontos à misericórdia e ao perdão. Pelo MEU FILHO, perdoem sempre ao próximo porque assim vocês terão a paz. Filhos MEUS, preocupem-se com a alma de vocês porque é a única coisa que pertence a vocês realmente. Vocês se esqueceram da importância da família. A família não deveria ser lugar de sofrimento e de dor mas local de compreensão e de ternura. As famílias que vivem segundo o MEU FILHO, vivem em amor recíproco. Quando o MEU FILHO era ainda pequeno, ELE ME dizia que todos os homens são SEUS irmãos; por isso lembrem-se, apóstolos do MEU AMOR, que todos os homens que vocês encontrarem são família, irmãos pelo MEU FILHO. Filhos MEUS, não esqueçam nunca de rezar pelos seus sacerdotes. Rezem para que possam aceitar todos os homens como seus próprios filhos e segundo o MEU FILHO, sejam pais espirituais. Obrigada. "
MENSAGEM DA RAINHA DA PAZ EM MEDJUGORJE DE 25.03.2017 “Queridos filhos! Neste tempo de graça convido todos vocês a abrirem seus corações à misericórdia de Deus, para que, através da oração, da penitência e da decisão pela santidade, comecem uma vida nova. Este tempo primaveril os estimula, em seus pensamentos e corações, a uma vida nova, a uma renovação. Por isso, filhinhos, Eu estou com vocês para ajudá-los a dizerem, com determinação, "sim" a Deus e aos mandamentos de Deus. Vocês não estão sozinhos, Eu estou com vocês por meio da graça que o Altíssimo me concede para vocês e para seus descendentes. Obrigada por terem respondido ao meu chamado.”

CONHEÇA NOSSA HISTÓRIA


O Secretariado Rainha da Paz do Rio de Janeiro foi fundado em 08 de setembro de 1995   sob a coordenação de José Ribamar Farias e Silva,  motivado por uma forte conversão e mudança de vida ocorrida com ele e sua família por ocasião de suas bodas de Prata em Medjugorje. Assumiu um compromisso consigo mesmo, em divulgar as mensagens de Nossa Senhora dadas em Medjgorje. Foi criado o jornal Vamos Viver Medjugorje, bi-mensal, e, em consequência desta divulgação surgiram as primeiras peregrinações a partir de 1996, com o diferencial da espiritualidade e experiência de oração em Medjgorje. Com o objetivo de levar ao maior número de pessoas possível neste abençoado, santo e místico local, o Secretariado procura facilitar ao máximo e tem um diferencial nas peregrinações, a espiritualidade da Rainha da Paz. Em Medjugorje, onde as conversões são numerosas e Nossa Senhora Rainha da Paz aparece diariamente, desde o dia 24 de junho de 1981, dando mensagens ao mundo numa verdadeira Escola de Oração. Como no dia 24 de junho Nossa Senhora não falou, por isso a sua festa é comemorada em 25 de junho de cada ano. Nesse dia em 1981, Nossa Senhora apareceu  aos videntes Vicka, Jakov, Ivanka, Mirjana, Marija e Ivan e disse “Eu sou a Rainha da Paz.”

 Atualmente apenas Vicka, Marija e Ivan tem aparições diárias porque ainda não receberam os 10 segredos, os demais Mirjana, Ivanka e Jakov, já o receberam tendo atualmente somente uma aparição anual: Mirjana, dia do seu aniversário, 18 de março; Ivanka, a cada dia 25 de junho (aniversário das aparições) e Jackov  a cada dia 25 de dezembro, natal de Nosso Senhor Jesus Cristo.
A cada dia 2 a vidente Mirjana recebe aparições extraordinárias de Nossa Senhora com a principal finalidade de rezar pelos não crentes e pelos sacerdotes.

COMO COMEÇOU O SECRETARIADO RAINHA DA PAZ

Até chegarmos a data da fundação do Secretariado Rainha da Paz do Rio de Janeiro, em 08 de setembro de 1995, tivemos muitos momentos especiais, iluminados pela presença divina dos nossos Santos protetores, de Nossa Senhora e por pessoas que muito influenciaram o início desta nossa caminhada.

Em 1989 minha esposa e eu estávamos completando 25 anos de casados, as Bodas de Prata. Morávamos em Brasília, pois servia na época no Hospital das Forças Armadas como Oficial Médico do Exército. Estávamos no mês de maio e a festa das Bodas de Prata seria em julho.

Ao chegar em casa para dar a notícia a minha esposa que já havia contratado o buffet e o clube para a nossa festa das Bodas de Prata, ela respondeu simplesmente que não queria festa e sim uma viagem a Medjugorje. Quis saber o que era Medjugorje e ela me respondeu ser uma cidade na Iugoslávia onde Nossa Senhora estava aparecendo desde 24 de junho de 1981. Ela viu esta notícia em uma revista “Três Fronteiras” que chegou em meu consultório. Não consegui que desistisse deste seu objetivo.
Com mais um casal, duas senhoras e um senhor formamos este pequeno grupo para a viagem. Foi realizado um contato, em Roma, com a senhora Maria Célia Santanchè que organizava peregrinações de Roma para Medjugorje. Seguimos no final de julho de 1989. Ao chegar em Roma, a senhora Maria Célia havia programado um “city-tour” para nosso pequeno grupo e assim, visitamos Assis, Cassia e Netuno. Hoje raciocinamos que este “city tour” foi uma verdadeira preparação espiritual para chegarmos em Medjugorje.

ASSIS

No dia de nossas Bodas de Prata, estávamos em Assis dentro da Porciúncula – pequena capela construída por São Francisco -. Estava sendo celebrada uma Santa Missa. Nossa filha informou ao Padre italiano que celebrava a Missa, que estávamos completando 25 anos de casados. Foi o suficiente para o Padre italiano avisar a todos que estavam no interior da Porciúncula. Entoaram cânticos de alegria. O Padre concluiu com uma bênção especial.  Foi muito bonito e emocionante.

CASSIA

Seguimos para Cássia visitando a Basílica onde se encontra o corpo incorrupto de Santa Rita. Em seguida, visita ao Mosteiro em que Santa Rita viveu parte de sua vida. O Mosteiro não a aceitava em virtude de ser casada, mãe e viúva, por isso ela entrou quando todas as portas estavam fechadas. Foi introduzida ao Mosteiro por Santo Agostinho, São João Batista e São Tolentino. No final da visita, uma freira Agostiniana  ofereceu-me um terço perfumado feito por elas mesmas. Fiquei extremamente emocionado porque até então não tinha terço. Como observamos é como se estivéssemos sendo preparados espiritualmente para nossa chegada a Medjugorje.

NETUNO

Visitamos a casa da família de Santa Maria Goretti e o local em que houve a agressão contra ela. Depois fomos onde se encontra o corpo incorrupto de Santa Maria Goretti na cripta da Basílica. Este “tour” nos levou a muita meditação sobre a vida de São Francisco, Santa Rita e Santa Maria Goretti.

MEDJUGORJE


Inicialmente seguimos de Roma com destino ao porto de Ancona. Embarcamos em Navio que fez a travessia da Itália para a Croácia pelo Mar Adriátrico. Saltamos em Split e seguimos de ônibus até Medjugorje.  Fomos hospedados em uma Pensão, pois Medjugorje em 1989 ainda não tinha hotéis. Na mesma pensão pequenos grupos de italianos, americanos, holandeses, além dos mexicanos. Conversávamos e rezávamos juntos e todos se entendiam. Subimos o Podbrdo em grupo rezando o rosário. Ao chegar no ápce da colina, ficamos a mais ou menos 30 metros da Cruz que marcava o local exato em que Nossa Senhora apareceu pela primeira vez aos videntes (agora temos uma imagem de Nossa Senhora nesse local). Estávamos ajoelhados em uma pedra quando uma senhora, vestida com uma blusa branca, saia preta e um lenço preto cobrindo a cabeça. Esta senhora puxou o meu terço. Eu que estava de olhos fechados, o segurei com firmeza, mas ao abrir os olhos vi que se tratava de uma senhora e soltei o terço. Ela me olhou e, entregando-me um outro terço disse: “este é de Medjugorje”. Em seguida deu um beijo em meu rosto e saiu em direção a Cruz. Tocou com o terço 3 vezes e depois ia saindo por um lugar impossível de descer, pois a vegetação era rica em espinhos. (Na época tínhamos apenas uma trilha por onde subíamos e descíamos). Quando ela ia se dirigindo para esse local de vegetação espinhosa, terminei de rezar o terço e sai correndo para falar com ela. Ao chegar bem próximo, sem que pudesse falar, ela desapareceu.

Procuramos falar com o Pe. Slavko, mas este informou que uma senhora croata, seria difícil, pois são muito tímidas e sabem somente a língua croata. Ficaram somente as hipóteses do que poderia ter sido. Fique com a sua também.

Com muita oração e acontecendo várias coisas que alteraram o meu comportamento, comprometi-me com Nossa Senhora a divulgar as suas mensagens no Brasil, da melhor maneira que pudesse.

A este grupo de 7 pessoas que foi a Medjugorje, juntou-se o Reinaldo. Ao chegarmos de volta a Brasília começamos a nos reunir semanalmente na casa dos participantes, para rezar e meditar a palavra das Sagradas Escrituras. Destas reuniões coordenadas pelo Reinaldo, surgiu os Servos da Rainha.

Com minha transferência para a reserva, a pedido, em 1991, mudei de residência para o Rio de Janeiro.

O SECRETARIADO

Desde essa época não perdi mais as festas comemorativas das Aparições de Nossa Senhora em Medjugorje, em junho de cada ano. Fui apresentado ao Pe. Slavko que se preocupava muito em não existir um Secretariado que divulgasse as Mensagens e notícias de Medjugorje. Enquanto isso estava sempre em oração achando que não era a pessoa certa, que não era digno, que não era o indicado para ser o fundador ou responsável pelo Secretariado Rainha da Paz do Rio de Janeiro. É a maneira de agimos quando estamos com medo ou sentimos covardia para assumir algum compromisso. Não é isto mesmo?

Em 1995 quando estava em Medjugorje para as festividades do aniversário das Aparições de Nossa Senhora, ao falarmos com o Pe. Slavko tendo ao meu lado a Profª. Maria Célia Santanchè, este disse que não poderia mais esperar alguém que pudesse se responsabilizar pela instalação do Secretariado no Rio de Janeiro. Achava que era uma lacuna muito grande e deveria ser preenchida. Fiquei de lhe dar uma resposta antes de viajar de volta ao Brasil. A Profª Maria Célia – uma pessoa especialíssima que não só nos levou a conhecer Medjugorje (em 1989 foi quem nos levou a Medjugorje) e por muitos anos nos acompanhou como guia em nossas peregrinações – informou que o Pe. Jonas estava em Medjugorje com um grupo de jovens da Canção Nova. (Eu conhecia o Pe. Jonas somente através do rádio, de seus livros e de uma pregação em um Retiro Espiritual que aconteceu no Maracanãzinho do Rio de Janeiro. Nunca tinha sido apresentado a ele). Então a Profª Maria Célia sugeriu procura-lo e conversar com ele que poderia me orientar para um bom discernimento. Procurei o Pe. Jonas no hotel em que se encontrava e ficou combinado que às 06:00 horas do dia seguinte ele iria subir com o grupo, a Colina do Podbrdo rezando o Santo Rosário, se eu quisesse que me reunisse ao grupo e quando chegasse no cume da colina, no lugar que Nossa Senhora apareceu pela primeira vez, poderíamos conversar. Então no dia seguinte às 06:00 horas estava junto com o grupo e seguimos em direção ao Podbrdo. Quando subimos esta colina vamos rezando o Santo Rosário. Em cada mistério do terço, em determinados lugares da subida, são colocadas placas de bronze, de 1m de diâmetro, representando a figura de cada mistério. Em frente de cada placa de bronze, o Pe. Jonas fazia a meditação correspondente àquele mistério. Quando chegamos no 4ª mistério Gozoso – São José e Maria Santíssima apresentando o Menino JESUS no Templo de Jerusalém (Lc 2,41-52), o Pe. Jonas iniciou a meditação aos seus jovens. Para mim tudo estava maravilhoso, pois estava recebendo verdadeiros ensinamentos bíblicos e de incentivo a entrega de mesmo à causa de Cristo. O Pe. Jonas então começou a sua meditação fazendo uma belíssima preleção e em determinado momento disse: “meus jovens, vocês estão vendo que Nossa Senhora recebeu o anúncio doloroso de Simião, falando do sofrimento que a esperava e dizendo mesmo ‘que uma espada iria transpassar o seu coração’, e nem por isso, Nossa Senhora se acovardou, não desistiu, não teve medo e aceitou ao chamado de Deus dando o seu sim.  E este consentimento, e este sim mudou a configuração do mundo. Portanto, quando vocês forem chamados a algum compromisso para com a Igreja, não se acovardem, nem fiquem nervosos, nem tenham medo que os leva a inúmeras desculpas, não, ao contrário, imitem Nossa Senhora”. Ao final destas palavras, senti que não havia mais necessidade de me encontrar com o Pe. Jonas no ápice da Colina. O que me incomodava, o que estava me deixando angustiado já tinha tido uma resposta, pois naquele momento decidi que iria aceitar a organização e coordenação do Secretariado Rainha da Paz do Rio de Janeiro. Isto aconteceu em junho de 1995. Em setembro do mesmo ano, dia 8, foi dado posse a primeira diretoria do Secretariado Rainha da Paz do Rio de Janeiro.

Daí em diante o Secretariado Rainha da Paz vem exercendo várias atividades, em especial ajudando – dentro de suas possibilidades – a seminaristas em dificuldades para continuar os seus estudos, a crianças carentes e as peregrinações anuais, todas indo a Medjugorje, além daquilo que consideramos ser a sustentação do Secretariado, a Oração, através do Grupo de Oração Rainha da Paz e São Pio de Pietrelcina. Temos ainda, a publicação bimensal de nosso jornal VAMOS VIVER MEDJUGORJE, com todas as mensagens de Nossa Senhora dadas em Medjugorje, seus comentários e notícias dessa cidade bendita. O nosso jornal é distribuído gratuitamente a mais de 5.000 pessoas já cadastradas. Para as Paróquias enviamos em quantidades de 50 a 100 jornais, conforme o interesse de cada Paróquia.